A chegada do meu anjo

with Nenhum Comentário

“O dia em que minha alma foi dividida.” Há três meses, no dia 5 de Junho, o tempo parava a cada contração. Escolhi o dia de hoje pra tentar contar um pouco como foi o dia em que dei a Luz ao meu bebe cósmico pois considera-se 12 meses o tempo final real de uma gestação .

Um dia antes de entrar em trabalho de parto, completando 41 semanas de gestação e prestes a explodir de impaciência, consultei a numerologia e calculei que se o Gabriel nascesse no dia 5 ele teria o mesmo número de destino que o meu, o do caminho da “experiência”; já se viesse no dia 6, seu caminho de destino seria o do “equilíbrio”. Pensei, tomara que ele venha neste dia! Comecei então a chama-lo dizendo que ele precisaria vir naturalmente para que não precisasse ser feita nenhuma indução artificial para dar início ao TP. Foi nesta mesma madrugada do dia 5 que comecei a sentir as dores da contração que vinham ritmadas com intervalos de 6 a 10 minutos com duração de +- 1 minuto . Após as 6 hs da manha o ritmo e a dor intensificaram, de 5 em 5 minutos com duração de +- 40 segs, assim ate o meio dia.

no carro tp

 

Na primeira fase, ainda consegui ficar deitada, descansando e poupando energia, tomei café da manha e terminei de arrumar as coisas pra maternidade. Na segunda fase precisei focar na presença para que a respiração me ajudasse a suportar as dores que estavam muito mais intensas. Usei a bola de Pilates que tenho em casa para aliviar a dor e o peso da barriga, tomei banho de hora em hora para relaxar, e a todo instante vocalizava Ahhhhhhh que foi o que me manteve mais presente redirecionando o foco da dor. Na parte da tarde ate as 16hs, ainda em casa, parecia estar sendo arrastada por uma correnteza onde se perde o controle do que esta acontecendo. Mesmo respirando e tendo ajuda de duas das minhas melhores amigas(Dri Doula @adristasepenna)), era como se meus ossos estivessem todos quebrados. Dificil dissociar corpo e mente, mesmo sabendo que a mente pode ter controle sobre a dor, o meu corpo reagia mais forte.

banho censurado

 

As 17 hs do dia 5 demos entrada no São Luiz  pedindo pela anestesia; bolsa e tampão ainda intactos e apenas 3 cm de dilatação, após as 14 hrs de TP!! Nessa hora tive certeza que precisaria de anestesia pra aguentar o que viria. Minha ideia romantizada de ter um parto na banheira não rolaria mesmo até porque as únicas três salas para parto humanizado do hospital estavam ocupadas. Fomos então para o centro cirúrgico normal. Lembro da sensação da droga agindo sobre mim e de ter dado graças a deus por elas existirem…afinal pra certos ocasioes são muito bem indicadas.

CCIRURGICO

 

Depois disso pude descansar um pouco porque a previsão era de virarmos a madrugada do dia 6 ! Só que o bebe começou a desacelerar o coração então tive que chamar uma força extraordinaria,  fazer uso da ocitocina sintetica pra acelerar as contrações e pedir por mais anestesia pra poder suportar a dor que aumentou com o uso do hormônio artificial. Ainda com 7 cm de dilatacao,a medica @betinaobstetra ajudou a terminar o processo de abertura do colo com as mãos! Sim me abrindo com os dedos. E fazendo cada vez mais força pra empurrar o bebe que ainda estava alto. Aí escutei a medica falar, Trisha, vamos tentar um pouco mais, mas se ele não descer teremos que tirar por cima (cesárea). Aquilo me soou tao irreal que eu respondi “não cheguei ate aqui pra acabar na cesárea”. Vamos empurrar, gritei  “ você vai sair agoraaaaa” mandando que o bebe saisse de mim. E ele começou a descer, mas estava com a cabeça virada! Mais uma vez teríamos que recoorer a algo de fora para puxa-lo: o vácuo extrator, uma espécie de desentupidor de pia. Autorizei o uso mesmo a dra falando que poderia ficar alguma marca na cabeça, pois foi dessa forma que vi no meu sonho uns dias antes o Gabriel chegar ao mundo -com a cabeça um pouco esticada. Foi aí que tive certeza AGORA É A HORA.

IMG-20190606-WA0036

Menos de uma hora depois ele nasceu. O momento da passagem foi como se tivesse transferindo uma carga de energia atômica do meu corpo pro dele. O canal se abre como uma bola de fogo e a sensação que tive foi como se ele passasse por mim escorregando como um “lambari”. De repente já não havia mais nada. Um relaxamento com euforia e cansaço, e o sentimento de ter me dividido em dois, ou talvez, me multiplicado. Com todo cuidado o bebé colocado no meu colo ,e no meu seio, coberto e acalentado com um ar quente por baixo das cobertas. Assim permanece em mim ligado ao cordão ate que este se desligue; eu olho aquela coisinha que nasce c os olhos arregalados olhando tudo ao redor e penso meu DEUS ,que poderosa a vida.

cordAO

Menos de uma hora depois vem o parto da placenta, o órgão mantenedor da vida, que se descola rapidamente e me dá a chance de agradece-la por ter-nos servido tão bem do início ao fim da gestação.Após 20 hrs de TP, nasce Gabriel as 22:14hs de parto normal, com ajuda de todas as ferramenta descritas e principalmente das minhas amadas amigas, e pela destreza das mãos e coração da dra Betina. Com a benção e a graça de Deus.O que vem adiante já é outra historia…

placenta2

maternidade

Deixe uma resposta